Quando chegou aos estandes do Palexpo, o centro de convenções onde ocorre o Salão do Automóvel de Genebra, sempre em março, o protótipo da Lamborghini tinha a intenção de revelar aos visitantes como poderá ser a versão roadster do superesportivo italiano – desde os anos 1960, grande concorrente da Ferrari. E revelou: uma máquina de 4,89 metros de comprimento feita de fibra de carbono especial, sem teto, dona de um motor 6,5 litros V12 com 700 cavalos, capaz de atingir 100 quilômetros por hora em 2,8 segundos e cravar 350 quilômetros por hora de velocidade máxima. Mas as formas arrojadas do Aventador J (pronuncia-se “iota”) acabaram seduzindo um colecionador cujo nome não foi revelado. Para ter o protótipo só para ele assim que terminasse o evento, desembolsou 3,3 milhões de dólares – contando os impostos, na ordem de 500 000 dólares. Como o modelo não tem para-brisa, e sim dois defletores de vento, motorista e acompanhante precisam usar capacete para proteger o rosto como se estivessem em uma moto.