Ugly Kid Joe se apresenta no Brasil em agosto

Eles eram o ponto de equilíbrio do hard rock dos anos 1990. Mesclavam o peso das guitarras inspiradas em Motley Crüe com o deboche e o cinismo que dialogava com o grunge, em plena ascensão. Equilibrando-se entre um e outro, os californianos do Ugly Kid Joe fizeram de seu disco de estreia, America’s Least Wanted (1992), uma coleção de hits, escudados por bons clipes em alta rotação na MTV. O maior sucesso foi “Everything About You”, ao lado de “Cat’s in the Craddle”, “Goddam Devil” e “Neighbour”. Em janeiro de 1994, fizeram shows no Rio e em São Paulo, abrindo a noite que tinha Robert Plant como atração principal, no saudoso festival Hollywood Rock. Depois de um hiato de doze anos, entre 1997 e 2009, a banda voltou e este ano se apresenta novamente no Brasil. Conversamos com os dois membros originais remanescentes, o vocalista Whitfield Crane e o guitarrista Klaus Eichstadt, sobre a volta ao país, o atual momento da banda e as lembranças do passado.

1. Vocês lembram da primeira vez no Brasil, em 1994? Que tocaram uma versão de Sweet Leaf, do Black Sabbath, e escalaram o painel atrás do palco?

Crane: Aquilo foi incrível. Era meu aniversário de 26 anos, plateias enormes e muita gente bonita! Estamos tentando voltar a tocar no Brasil há bastante tempo.

2. Vai ter escalada ou versão do Black Sabbath dessa vez de novo?

Crane: Claro! Embora tenhamos passado um longo tempo longe do Ugly Kid Joe, somos o mesmo grupo de caras, só um pouco mais velhos.

3. Vocês tiveram uma porção de hits em seu álbum de estreia. Isso de alguma forma mudou o que vocês haviam planejado para a carreira da banda? Se sim, para pior ou melhor?

Eichstadt: Sim, isso definitivamente mudou o rumo que estávamos tomando, e para melhor. No prazo de um ano, estávamos excursionando pelo mundo e abrindo para artistas como o Ozzy Osbourne, o que não teria acontecido sem os grandes hits.

4. Vocês abriram turnês do Ozzy e do Def Leppard. Lembram de coisas que aconteceram na companhia desses caras?

Eichstadt: foram tantas as coisas que aconteceram nas turnês, mas uma que permanece na minha mente foi quando Ozzy encheu de bombas de cheiro o nosso camarim.

5. Vocês voltaram com um EP este ano, Starway to Hell. No que você acredita que a banda soa diferente hoje em comparação com a época de “Everything About You”?

Eichstadt: Somos uma banda mais afiada e experiente, e mesmo tendo parado por um longo tempo, a química entre nós hoje é melhor do que nunca. Temos mais foco e um a mente mais aberta para escrever canções, o que mostra que estamos na mesma sintonia musicalmente.

O Ugly Kid Joe se apresenta em agosto no Brasil, dia 9 em Florianópolis, dia 11 em São Paulo e dia 12 em Porto Alegre. Ingressos entre R$ 60 e 140. Mais informações em www.entreseven.com.br