O Brasil estava com os olhos voltados para Brasília, concentrado na CPI do Cachoeira. Nada parecia capaz de desviar a atenção dos parlamentares e jornalistas envolvidos na Comissão. O país queria entender quem é Cachoeira, quem forma a sua rede, até onde vão suas ligações. Só mesmo um furacão poderia roubar o foco.

Um furacão passou…

No final de julho, uma movimentação estranha nos computadores dos parlamentares chamou a atenção dos repórteres. Um vídeo pornográfico? Os curiosos jornalistas investigaram o tal vídeo e a história chegou à grande mídia. As imagens revelavam uma loira maravilhosa, assessora parlamentar, consumando o ato com um sortudo desconhecido. Horas depois do boom, todos já sabiam quem era a protagonista da filmagem: Denise Rocha era a então assessora do senador Ciro Nogueira (PP-PI). A advogada ganhou a alcunha de Furacão da CPI e foi exonerada de seu cargo no começo de agosto.

De lá, veio para cá. Denise Rocha é a estrela de capa da Playboy de setembro. Vamos atiçar o seu imaginário: o ensaio foi feito em São Paulo, em uma construção antiga, com janelas grandes e piso de madeira. Na produção, aparelhos de ginástica como argolas, cavalo, barras paralelas. As fotos são assinadas por JR Duran. A Playboy de Denise Rocha, o Furacão da CPI, chega às bancas no dia 4 de setembro.