DRY MARTINI
Rei entre os drinks, o Dry Martini é símbolo de charme e elegância. Não se sabe ao certo quem o criou, mas uma das lendas diz que um barman de sobrenome Martini, do hotel nova-iorquino Knickerbocker, teria reunido gim e vermute seco para atender a um pedido do magnata John Davidson Rockefeller em 1910. De qualquer forma, fica aqui o nosso agradecimento ao inventor desse clássico, que, por ser tão gelado, disfarça sua elevada potência alcoólica. Aprenda a fazer o drink com menos ingredientes de todos e, se alguém disser que é apenas gim gelado, tire-o da mesa.

Bebedores famosos: Humphrey Bogart, David Bowie e Oprah Winfrey

Onde beber
No bar do Hotel Savoy, em Londres (The Strand, Londres WC2R 0EU) No SubAstor, em São Paulo (Rua Delfina, 163, Vila Madalena)

Ingredientes
→ 1 dose de gim inglês
→ 3 gotas de vermute seco
→ 1 zest (pedaço da casca) de limão
→ 1 azeitona verde para decorar

Modo de preparo
Em um copo misturador, ponha dez pedras de gelo e gire-o para que elas esfriem o copo.

Retire a água com a ajuda de um coador e deixe o gelo.

Adicione o gim e o vermute seco.

Misture bem.
Quando o líquido gelar, transfira-o para uma taça previamente gelada com o auxílio de um coador duplo para que não passe nenhum pedaço de gelo.

Torça o zest sobre a bebida para borrifar seu sumo e jogue-o fora.

Decore com uma azeitona verde média com caroço e sem recheio.

DICA
Pegue sempre a taça pela haste para não aquecer o drink.

Não erre
Não use vermute demais nem coloque gelo dentro do copo.

VARIAÇÃO
Usar duas colheres da salmoura da azeitona gelada na hora de servir o transformará em um Dirty Martini. Usar vodca o transformará em um erro.
CAIPIRINHA
O drink responsável por tornar a cachaça mundialmente famosa vem de São Paulo, onde  é comum chamar os cidadãos do interior de “caipiras”. Nasceu de um remédio popular para problemas respiratórios feito à base de álcool com mel e limão. Em 1922, a caipirinha foi apresentada a Pablo Picasso por Tarsila do Amaral. É o único drink brasileiro reconhecido pela Associação Internacional de Bartenders.

Bebedor famoso: Seu Jorge

Onde beber
No bar Veloso, em São Paulo (Rua Conceição Veloso, 56, Vila Mariana)

Ingredientes
→ 1 limão taiti
→ 50 ml de cachaça de boa qualidade
→ 1 colher de sobremesa de açúcar

Modo de Preparo
Corte o limão em cubos e retire a parte branca do meio.

Coloque o limão no copo com a polpa virada para cima.

Amasse o limão, já com o açúcar, pressionando contra a polpa da fruta, e não contra a casca, que desprende um óleo que deixa o drink amargo.

Adicione gelo, complete com a cachaça e mexa bem.

Não erre
Nunca bata a caipirinha na coqueteleira.

VARIAÇÃO
Use vodca ou saquê no lugar da cachaça, mas não chame o drink de caipirinha. Caipirinha mesmo é só com cachaça.
DAIQUIRI
A bebida foi criada perto de Playa Daiquiri, em Cuba, supostamente por um engenheiro americano que estava trabalhando na ilha e queria uma maneira de tornar o rum – a bebida local – mais suave. Ernest Hemingway era um dos entusiastas do drink e habitué do bar La Floridita, em Havana, que até hoje faz um dos melhores daiquiris do mundo.
ingredientes
→ 40 ml de rum claro
→ 15 ml de suco de limão
→ 1 colher de açúcar
→ 4 pedras de gelo

Modo de Preparo
Junte os ingredientes em uma coqueteleira, bata bem, coe e sirva em uma taça gelada.

Finalize com um fio de grenadine (xarope de romã).

DICA
Para tornar o drink mais cremoso, bata na coqueteleira até formar gotinhas na parte exterior.

Não erre
Não use rum escuro.

VARIAÇÃO
O Banana Daiquiri, drink que Michael Corleone bebe em O Poderoso Chefão II, é feito com a adição de meia banana e 10 ml de licor de banana à receita original e batido no liquidificador até ficar cremoso.

MARGARITA
Alguns dizem que o drink foi feito para a socialite Margarita Sames, em Acapulco, no começo do século 20, enquanto outros acreditam que a criação é de um bar em Tijuana. Na primeira versão, o marido de Margarita teria elaborado o drink baseado na forma como os mexicanos bebem tequila: com limão e sal. Segundo a revista americana Gourmet, é hoje o drink mais popular nos Estados Unidos.

Bebedores famosos: Jennifer Aniston e Jack Kerouac

Onde beber: No bar Hecho en Mexico, em São Paulo (Rua Renato Paes de Barros, 538, Itaim)

Ingredientes
→ 50 ml de tequila
→ Suco de meio limão taiti
→ 30 ml de curaçau fino
→ Sal

Modo de Preparo
Antes de fazer o drink, chacoalhe cinco pedras de gelo na coqueteleira para gelá-la.

Dispense o gelo e bata os ingredientes na coqueteleira.

Sirva em uma taça com sal na borda. Para isso, passe o limão na borda da taça e coloque-a de ponta-cabeça em um pratinho de sal.

DICA
Na hora de beber, vá girando a taça para variar o lugar da borda no qual você bebe – o sal faz parte do drink.

Não erre
Não exagere no sal: ele não deve cair dentro do copo. E nunca diga “marguerita”: você quer um drink, e não um sabor de pizza.

VARIAÇÃO
Para uma Margarita Frozen, aproveite o gelo da receita batendo-o com o drink no liquidificador e sirva em uma taça frozen.

BLOODY MARY
Um drink para comer e beber ao mesmo tempo, o Bloody Mary foi criado no Harry’s Bar, em Paris, na década de 1920. O barman, um americano, pensou em um drink que driblasse a Lei Seca com o visual. O nome faz referência à rainha da Inglaterra Mary 1a, que perseguia protestantes de forma sangrenta no século 16. É conhecido como “curador de ressaca” por causa do nutritivo suco de tomate.

Ingredientes
→ 50 ml de vodca
→ 80 ml de suco de tomate sem tempero
→ 10 ml de suco de limão
→ sal a gosto
→ 1 colher de café de molho inglês
→ Molho de pimenta vermelha a gosto
→ Pimenta-do-reino

Modo de Preparo
Coloque todos os ingredientes (exceto a pimenta-do-reino) em um copo misturador.

Misture bem com uma colher de bar, coe e sirva em um copo alto com quatro pedras de gelo.

Finalize o drink com pimenta-do-reino moída na hora e um palito de cenoura, pepino ou salsão.

Não erre
Se exagerar no molho inglês ou no suco de limão, o drink ficará amargo. Tenha bom senso para que um ingrediente não se sobreponha ao outro.

VARIAÇÃO
Siga o hábito dos mexicanos e faça um Bloody Maria, no qual se substitui a vodca por tequila.

NEGRONI
O coquetel clássico voltou à moda recentemente, mas alguns bares passam longe da receita original. O drink foi criado em Florença, na Itália, a partir do que era chamado de “o coquetel americano” (vermute tinto com Campari). Na década de 1920, o conde Camilo Negroni passou a beber o drink à sua maneira: com um lance de gim. Presto: estava criado o Negroni.

Bebedor famoso: Orson Welles

Onde beber
No Tutto Italiano Bar & Cucina, em São Paulo (Rua Doutor Melo Alves, 19, Jardins)

Ingredientes
→ 30 ml de gim
→ 30 ml de vermute tinto
→ 30 ml de Campari

Modo de Preparo
Monte o drink no próprio copo com gelo, decorado com uma fatia de laranja e uma casca de limão torcida.

DICA
“O Negroni deve ter cor parecida com a da Ferrari: um vermelho bonito”, diz Derivan.

VARIAÇÃO
Substitua o vermute por aperol.

MOJITO
Originalmente hecho em Cuba, o drink foi criado no bar La Bodeguita del Medio, em Havana. onde Ernest Hemingway o apreciava. A combinação cítrica e algo doce suaviza a potência do rum e vai bem nos dias de calor. Um dos drinks com rum mais populares no mundo, o Mojito ganhou várias versões, como a que substitui a água com gás por champanhe.

Ingredientes
→ 50 ml de Bacardi Superior
→ 15 ml de suco de limão
→ 1 colher de sobremesa de açúcar
→ 8 folhas de hortelã
→ água com gás

Modo de Preparo
Coloque a hortelã no fundo de um copo longo e adicione
o açúcar, o limão, o gelo e o rum claro ou escuro (pela receita original cubana, ambos são aceitos).

Adicione quatro pedras de gelo e complete com água com gás.

Misture até que o açúcar desapareça no fundo do copo.

Decore com um ramo de hortelã.

DICA
Nunca amasse a hortelã. Mojito não é caipirinha nem molho ao pesto.

VARIAÇÃO
Faça a receita do bar La Floridita adicionando três gotas de angostura à receita (o drink fica um pouquinho mais amargo).

COSMOPOLITAN
A origem do drink é controversa e fica entre San Francisco e Nova York nos anos 1970, mas sua popularidade recente tem explicação: além de ser o favorito da cantora Madonna, na década de 1990 o drink foi alçado ao estrelato na série Sex and the City, na qual quatro moças nova-iorquinas liberais e fashionistas discutiam sua vida sexual em meio a goles de Cosmopolitan. O coquetel cor-de-rosa e doce virou o queridinho das mulheres. Saber prepará-lo lhe garantirá pontos a mais.

Bebedora famosa: Madonna

Onde beber
No restaurante Ritz, em São Paulo (Rua Jerônimo da Veiga, 141, Jardim Europa) No Eleven Madison Park, em Nova York, um dos lugares onde as moças de Sex & the City bebiam seus “cosmos”(11, Madison Avenue)

Ingredientes
→ 50 ml de vodca
→ 15 ml de suco de limão
→ 15 ml de curaçau fino
→ 30 ml de suco de cranberry

Modo de Preparo

Bata todos os ingredientes em uma coqueteleira com quatro pedras de gelo, transfira para uma taça gelada com a ajuda de um coador e decore com uma tira de casca de laranja na borda da taça.

Não erre
Não substitua o suco de cranberry por nenhum outro licor – nem muito menos por groselha.

VARIAÇÃO
Faça um Cointreaupolitan com cointreau no lugar da vodca.


MANHATTAN
Quando o governador Sam Tilden foi eleito em Nova York, em 1874, sua esposa, Jennie Jerome, organizou uma festa no Clube Manhattan. O drink com o nome do clube foi criado para homenageá-lo naquela noite. Ao longo dos anos conquistou entusiastas, como Frank Sinatra. Hoje é um dos drinks mais consumidos no mundo.

Bebedor famoso: Frank Sinatra

Onde beber
No Bemelmans Bar, em Nova York  (35 East 76th Street)

Ingredientes
→ 50 ml de whiskey americano
→ 30 ml de vermute tinto
→ 2 gotas de angos tura
→ 1 cereja

Modo de Preparo
Junte os ingredientes em um copo misturador com sei s pedras de gelo.

Transfira o líquido para uma taça previamente gelada.

Decore com uma cereja.

Não erre
Não confunda o Manhattan com o Robbie Roy, um drink similar, mas feito com scotch whisky – o resultado tem sabor bem diferente.

VARIAÇÃO
Para um Manhattan seco, use vermute dry (o tinto é doce).

GIM TÔNICA
Criação inglesa, o gim andava meio adormecido no mundo dos drinks, mas voltou com tudo nos últimos tempos. Hoje é também chamado de G&T e pode ser encontrado nos bares com algumas variações, como a preparada com pepino no lugar do limão. É um drink que não costuma fazer sucesso entre os amantes das bebidas docinhas. O coquetel surgiu a partir da necessidade dos soldados ingleses de consumir quinino para evitar a malária no século 19. Como o tônico com quinino era amargo demais, os soldados adicionaram o gim para tornar a bebida mais palatável.

Bebedora famosa: A rainha Elizabeth 2a

Onde beber
No bar Astor, em São Paulo (Rua Delfina, 163, Vila Madalena)

Ingredientes
→ 50 ml de gim
inglês de
boa qualidade
→ Água tônica
→ 1 rodela de limão
→ 4 pedras de gelo

Modo de Preparo
Coloque os cubos de gelo em um copo alto e adicione o gim.

Complete com água tônica e uma rodela de limão.

VARIAÇÃO
Sirva o drink no copo Borgonha para variar a apresentação.

Matéria publicada na Revista PLAYBOY de julho de 2012.