Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar. Culpa dos maias, aquela civilização que desconhecia a roda, mas não o calendário de borracharia. A folhinha deles não tinha mulher pelada, mas organizava o tempo em cinco ciclos de 5 125 anos. E o último desses ciclos terminava abruptamente em 21/12/12. Depois do almoço.

No mês passado, tudo mudou. Arqueólogos fizeram uma escavação em Xultún, na Guatemala, e descobriram outro calendário maia. Esse também não tem fotos P&B da Gisele Bündchen nua, mas acrescenta
7 mil anos ao calendário anterior. O apocalipse, portanto, foi oficialmente adiado. Agora, tudo o que lhe resta é:

1 Resgatar os cheques pré-datados que você deu com vencimento para depois de dezembro de 2012.

2 Esquecer essa bobagem de cantar e dançar sob a chuva ácida.

3 Apagar do computador o arquivo “Minhas Confissões Sexuais Inconfessáveis”, que você pretendia soltar na rede depois do fim do mundo.

4 Remover da agenda o compromisso para “21/12/12”: “Chamar a gostosa do marketing para ver
a chuva de meteoros”.

5 Esquecer aquela ideia de virar o Mel Gibson e sair por aí atropelando motoqueiros punks.

6 Desistir de mudar o nome para “Zoltar, o Supremo”.

7 Cancelar a viagem para Machu Picchu para encontrar um portal interdimensional. (Não ia dar certo mesmo: Machu Picchu é uma cidade inca, animal!)
8 Parar agora mesmo com a confecção das camisetas com a estampa “Eu sobrevivi ao apocalipse maia!”

9 Deixar de ir ao zoológico para convencer os chimpanzés de que você é um ser humano bacana.

10 Reunir os seus funcionários e explicar que o aumento prometido para janeiro de 2013 acaba de ser cancelado.

11 Destruir o radiotransmissor que você construiu no sótão para contatar uma civilização alienígena.

12 Explicar para a sua amante que você desistiu de deixar sua mulher em janeiro de 2013.

13 Desmontar a nave espacial experimental que você construiu.

14 Voltar a batalhar pelo bônus que você achou que não teria.

15 Esquecer completamente os planos para o feriadão de fim de ano que começaria com o fim do mundo (21/12) e iria até o Réveillon do Ano 1 D.Z. (Depois de Zoltar, o Supremo).

Matéria publicada na revista PLAYBOY de junho de 2012